Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil e Ecumene



ID: 2676

Recurso Litúrgico para a Campanha 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres

18/11/2018

 

RECURSOS LITÚRGICOS PARA A CAMPANHA

           16 DIAS DE ATIVISMO         

PELO FIM DA VIOLÊNCIA
CONTRA AS MULHERES


Rede de Mulheres e Justiça de Gênero da América Latina e Caribe - 2018

VOCÊ VAI PRECISAR

Materiais

1 vela grande

Projetor e computador para apresentação da liturgia em Power point ou cópia para a comunidade

Papeis para dobradura nas cores lilás e branca

Para a confecção do móbile: arco de arame, cabo de madeira ou galho de árvore, fitas laranja, cartolinas, imagens de mulheres e meninas, dados sobre violências sofridas por mulheres

Preparar com antecedência:

1. Um móbile [pendente] com cartões postais. De um lado dos cartões, colocar imagens de mulheres e meninas em espaços públicos e privados (família, escola, trabalho...). Do outro lado, inserir números estatísticos sobre as violências sofridas por mulheres e meninas na sua cidade, estado, país, mundo. Amarrar os cartões na ponta de cada fita, cuidando para que seja possível retirá-los com facilidade. Pendurar o móbile no altar, em lugar visível à comunidade.
2. Opcional - PowerPoint com as imagens e as informações dos cartões que farão parte do móbile e da liturgia.
3. Origamis em formato de tsurus, nas cores brancas e lilás, em número suficiente para cada pessoa ou família presente no culto. Os origamis também serão utilizados para compor o móbile durante um momento litúrgico no culto. https://youtu.be/MfhREqvgmcc
OBS: Se possível, envolva pessoas e grupos da comunidade no preparo do material e na condução da liturgia.

 

LITURGIA DE ENTRADA


Saudação

Que o Senhor da paz dê a vocês a paz, sempre e de todas as maneiras! E que o Senhor esteja com vocês. 2 Tessaloniscences 3.16

Canto

Acolhida
Bem vindos e bem vindas a esta celebração que acontece no período da Campanha dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. A Campanha, que existe desde 1991, acontece anualmente entre os dias 25 de novembro, Dia Internacional da Não Violência contra a Mulher, e 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos (que neste ano completa 50 anos). É uma campanha mundial que busca conscientizar a população sobre os diferentes tipos de agressão contra as meninas e mulheres em todo o mundo. Para isso, promove momentos de reflexão e oração, espaços de debate, de denúncia e articulação de ações, envolvendo diferentes setores e organizações da sociedade civil e eclesiástica e do poder público, na busca pela superação dessa realidade. 

Vida digna e um mundo de justiça e paz é promessa de Deus para todas as pessoas. Que o culto de hoje nos sensibilize e impulsione para um testemunho abundante em favor da libertação de homens e mulheres de uma cultura de violência para a plenitude da vida e da comunhão.

Em nome do Deus, fonte de paz, que nos enviou Jesus, o príncipe da paz, e nos concede o Espírito Santo, vento da paz, aqui nos reunimos. 

Canto

Confissão de pecados

Comunidade: Jesus, tu és a luz que ilumina as nossas trevas!

L: Conhecendo a tua infinita misericórdia pelas nossas falhas e limitações, colocamo-nos em tua presença em busca do teu perdão.

Homens: Confessamos a ti, ó Deus, que em muitos momentos aceitamos, produzimos e reproduzimos uma cultura que gera sofrimento e discriminação para as mulheres. 

Mulheres: Confessamos que em muitas ocasiões não te buscamos como força consoladora e animadora. Por vezes, nos isolamos em nossas inquietações, fraqueza, e falta de fé. 

L.: Necessitamos da tua Palavra, ó Deus. Por isso, pedimos com o salmista:

Comunidade: “Livra o meu coração de todas as aflições. [...] Vê as minhas tristezas e sofrimentos e perdoa todos os meus pecados” (Salmo 25.17a,18).

L.: Deus de Amor, restaura-nos e permite-nos experimentar um coração novamente pulsante, que se dispõe a trabalhar por justiça e paz nas relações entre as pessoas.

Comunidade: Alcança-nos com teu perdão. Acolhe nossa confissão e ouve quando em conjunto cantamos:

Canto: Concede o teu perdão - LCI 34

Ó Deus da justiça, 
tem misericórdia de nós. 
Ó Deus da justiça,
tem misericórdia de nós.
Alivia nossa angústia, responde o nosso clamor. Concede o teu perdão, ouve nossa oração.
Ó Deus da justiça,
tem misericórdia de nós.
Ó Deus da justiça,
tem misericórdia de nós.

Kyrie

A misericórdia de Deus concede perdão, dá tempo para a reconciliação e alcança os corações arrependidos. Porque Deus nos alcança com misericórdia trazemos à sua presença as nossas dores e as dores do mundo.

(Aproximar-se do móbile, pegar um cartão, mostrar as imagens e ler as informações contidas nele. Em seguida, colocar o cartão próximo às velas do altar e com a comunidade, clamar: Kyrie eleison! Prosseguir da mesma forma com os demais cartões do móbile. Onde for possível, projetar para a comunidade, as imagens e informações contidas nos cartões.)

L: A cada 2 horas uma mulher é assassinada no Brasil; a cada 11 minutos uma mulher é estuprada. Entre 83 países, somos o 7º mais violento para as mulheres de acordo com a Organização Mundial de Saúde;

Comunidade: Kyrie, kyrie-eleison!

L: Das mulheres assassinadas no mundo todo, 40 % são mortas por uma pessoa próxima, marido, namorado ou ex-companheiro. No Brasil, 60 % das vítimas de violência contra a mulher, são negras. A casa, lugar para aconchego e segurança, é o espaço no qual mais se pratica violência contra mulheres e crianças.

♫ Comunidade: Kyrie, kyrie-eleison!

L: Em casa, na escola, na internet… meninas e meninos em todo o mundo estão sofrendo diversas formas de violência neste exato momento. O Brasil é o 4º país com maior numero de casamentos infanto-juvenis. Os motivos desses casamentos envolvem situações de abuso, gravidez precoce e desejo de segurança financeira.

♫ Comunidade: Kyrie, kyrie-eleison!

L: No Brasil, a cada 20 horas uma pessoa LGBT morre por motivos de homofobia; a população negra é mais atingida pela violência, desemprego e falta de representatividade; Todos os dias, em todos os lugares, mulheres e homens são vítimas da homofobia, da xenofobia, do racismo, do machismo, da intolerância religiosa. (Breve silêncio!)

L: Pelas dores deste mundo, ó Senhor, imploramos piedade. Apressa-te! Apressa-te com tua salvação!

Canto: Kyrie Eleison – LCI 56

Pelas dores deste mundo, ó Senhor, imploramos piedade.
A um só tempo geme a criação.
Teus ouvidos se inclinem ao clamor desta gente oprimida.
Apressa-te com tua salvação.
A tua paz, bendita e irmanada co’a justiça, Abrace o mundo inteiro. Tem compaixão!
O teu poder sustente o testemunho do teu povo.
Teu Reino venha a nós! Kyrie eleison!

Glória

Jesus Cristo diz: Deixo com vocês a paz. É a minha paz que eu lhes dou. ; não lhes dou a paz como o mundo a dá. Não fiquem aflitos, nem tenham medo.

L. Deus, fonte de paz, teu amor nos abraça por inteiro e por igual! Glória a Deus nas maiores alturas!

C. Paz na terra entre as pessoas a quem Deus quer bem.

L. Jesus, príncipe da paz. És paz, viveste e morreste pela paz. Deste-nos a paz! Em ti a graça, a justiça, a verdade e a paz se encontraram. Glória a Deus nas maiores alturas!

C. Paz na terra entre as pessoas a quem Deus quer bem.

L. Espírito Santo, em tuas asas a paz sombreia a terra. Glória a Deus nas maiores alturas!

C. Paz na terra entre as pessoas a quem Deus quer bem.
( Erli Mansk)

Canto:

Oração do dia – Salmo 85

L: Deus da justiça! Deus da compaixão! Em ti esperamos! Como crianças famintas que desejam ardentemente o leite de sua mãe, nós ansiamos por tua justiça.

Mulheres: Ó Deus, que a graça e a verdade se abracem;

Homens: Que a justiça e a paz se beijem;

Mulheres: Que da terra brote a humildade;

Mulheres: Que dos céus a misericórdia baixe o seu olhar.

Homens: Dá-nos, ó Deus, o que é bom; Para que na terra bons frutos sejam colhidos;

Mulheres: Que a justiça e a paz sejam os passos da humanidade;

Homens: De cujas pegadas brotem um mundo novo, transformado.

Mulheres: Vem, Deus da misericórdia. Não tardes em nos socorrer!

L: Teus filhos, tuas filhas, a criação inteira, esperam em ti somente e clamam por tua compaixão. Venha o teu Reino!

Comunidade: Por Jesus Cristo que, contigo e o Espírito Santo, vive e reina de eternidade a eternidade. Amém!
(Erli Mansk)


LITURGIA DA PALAVRA

Leituras bíblicas do dia

Impulsos para a pregação

É importante que a comunidade toda, homens e mulheres, seja envolvida com o tema. Busque sensibilizar para a realidade de violência e sofrimento a que mulheres e meninas são diariamente submetidas, ao mesmo tempo, aponte para a esperança e encoraje para o compromisso com a transformação dessa realidade.

Ao final da pregação, retome o móbile utilizado no kyrie, substituindo os cartões por origamis de tsurus, lembrando a comunidade de seu chamado e compromisso para com a cultura de paz e a superação da violência.

Abaixo, você encontra um resumo sobre a lenda dos tsurus e alguns impulsos para o preparo da pregação.

O Tsuru e o Dia da Paz

Tsuru é uma ave mítica da cultura asiática que inspirou muitas lendas, crenças e a arte. Símbolo da saúde, da juventude e da longevidade, conta a lenda que, se uma pessoa fizer mil tsurus de dobradura de papel (origami), com os pensamentos voltados para algo bom, o desejo se realiza. Mais tarde, o tsuru foi associado às orações, sendo oferecidos nos templos, acompanhados de pedidos de proteção. Com base nessa crença, muitas pessoas enfermas recebem tsurus de presente.

Um caso bem conhecido é a história da menina de 12 anos, chamada Sadako. Sobrevivente da guerra, a menina experimentou no corpo os efeitos radioativos da explosão da bomba de Hiroshima. A menina estava hospitalizada para tratar de uma leucemia. Nesse tempo, ela recebeu a visita de um amigo que deu vários papéis coloridos para que ela fizesse 1000 origamis do tsuru, junto com o pedido de cura. Como a doença se agravava a cada dia, Sadako começou a pedir pela paz mundial. Porém, no dia 25 de outubro de 1955, faltando apenas 26 tsurus para completar os 1000 a que tinha se proposto, Sadako faleceu.

Amigas e amigos da menina Sadako, comovidas com o seu gesto e a oração, decidiram completar os 1000 tsurus. Como forma de homenageá-la, iniciaram uma campanha para arrecadar dinheiro e construir um monumento pela paz. Em 1958 o monumento foi inaugurado, no Parque da Paz de Hiroshima. Todos os anos, no dia 6 de agosto, dia do bombardeio, se faz uma cerimônia no parque, pela paz e para lembrar as vítimas de Hiroshima.

Vida abundante é desejo de Deus para todas as pessoas (João 10.10).

Em Jesus Ele próprio (Deus) vem ao nosso encontro e nos alcança com sua paz. Ele diz: Deixo com você a paz. A minha paz lhe dou. Não a dou como o mundo a dá. Por isso, não tenham medo.

A violência é um fenômeno cada vez mais visível em todos os âmbitos da vida humana. A violência causa muita dor, sofrimento e fere a vida, em especial das mulheres.

Falar sobre violência contra a mulher é uma questão de fidelidade ao evangelho. Toda vez que uma mulher ou menina sofre violência, ou um homem morre por motivo fútil, relacionado à educação sexista, afirmamos que o projeto de Deus está sendo corrompido.

Toda vez que homens e mulheres, são levados a relações desiguais e injustas, fere-se o projeto inicial de Deus, de relações justas entre as pessoas (Gálatas 3.28 ) e vida diga e abundante para todas.

Na prática de Jesus, a igreja busca inspiração e orientação para a suas práticas. Assim, ao longo de seu percurso, a igreja aprendeu a chamar a violência pelo seu nome correto: pecado. Perante a lei, violência é crime. Por isso, é necessário que mulheres e homens assumam uma atitude profética também no assunto violência contra as mulheres.

(Durante a montagem do móbile com os Tsurus, convidar a comunidade para cantar – É preciso esperançar”)

Canto: É preciso esperançar
(Erli Mansk)

É preciso a esperança. É preciso esperançar!
Vem Espírito divino, vem anima a nossa vida, fortalece o caminhar.
Vem Espírito divino, vem anima a nossa vida, e ensina a esperançar.

Oração

Vamos lembrar as mulheres que sofrem violências e fazer por elas uma prece de paz.
Vamos lembrar as pessoas tomadas pelo ódio, a inveja, a indiferença e fazer por elas uma prece de amor.
Vamos lembrar as pessoas que nos magoaram e fazer por elas uma prece de perdão.
Vamos lembrar as pessoas desesperadas e fazer por elas uma prece de esperança.
Vamos lembrar o mundo em crise e fazer por ele uma prece de solidariedade.
Vamos unir nossas mãos e em conjunto orar como Jesus, o príncipe da paz nos ensinou. Pai nosso.
(Adaptação Carmen M. Siegle)


LITURGIA DE SAÍDA

Bênção

Envio



RECURSOS COMPLEMENTARES


Você pode cometer muitas violências sem perceber
(Campanha 16 Dias de Ativismo Pelo Fim da Violência Contra Mulher – Brasil 2018)

Quando eu digo não e você insiste, isso é uma violência
Quando você não me deixa sair sem a sua companhia, isso também é uma violência
Quando você finge não ver uma mulher ser maltratada, isso também é uma violência
Quando você insinua que eu posso ser promovida se sairmos juntos, isso também é uma violência
Quando você expõe minha intimidade na internet, isso também é uma violência
Quando seus recursos financeiros fazem de mim uma refém, isso também é uma violência
Quando você me trata diferente dos meus colegas de trabalho, isso também é uma violência

Dia Laranja

Celebrado a cada dia 25 do mês, o Dia Laranja Pelo Fim da Violência contra as Mulheres e Meninas alerta para a importância da prevenção e da resposta à violência de gênero. Sendo uma cor vibrante e otimista, o laranja representa um futuro livre de violência, convocando à mobilização todos os meses do ano no dia 25, culminando no 25 de Novembro, Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres.

O Dia Laranja foi proposto pela juventude latino-americana para manter a mobilização contra a violência de gênero para além do Dia Internacional pela Eliminação d a Violência contra as Mulheres, 25 de novembro, data do assassinato das Mariposas, três irmãs dominicadas que se opunham à ditadura no seu país.

O Dia Laranja integra a campanha da ONU “UNA-SE pelo Fim da Violência contra as Mulheres”, lançada em 2008 com o objetivo de dar visibilidade e aumentar a vontade política e os recursos designados a prevenir e responder à violência de gênero.


Elaboração: Pa. Carmen Michel Siegle, IECLB, Brasil.
 
 


Autor(a): Carmen Michel Siegle
Âmbito: IECLB
Área: Missão / Nível: Missão - Mulheres
Área: Ecumene
Área: Missão / Nível: Missão - Sociedade
Natureza do Texto: Liturgia
Perfil do Texto: Auxílio litúrgico
ID: 50019

AÇÃO CONJUNTA
+
tema
vai_vem
pami
fe pecc

Ó Senhor Deus, o teu amor chega até o céu e a tua fidelidade vai até as nuvens. A tua justiça é firme como as grandes montanhas e os teus julgamentos são profundos como o mar.
Salmo 36.5-6
REDE DE RECURSOS
+
Cada qual deve se tornar para o outro como que um Cristo, para que sejamos Cristos um para o outro e o próprio Cristo esteja em todos, isto é, para que sejamos verdadeiros cristãos.
Martim Lutero
© Copyright 2018 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br