O Chamado de Deus

Santíssima Trindade

26/05/2018

Isaias 6.1-13
Prezada Comunidade
Estimados rádio-ouvintes:

Hoje celebramos o domingo da Santíssima Trindade. As pessoas das primeiras comunidades cristãs queriam saber: qual é a relação entre Deus do Antigo Testamento com Jesus Cristo e o Espírito Santo? São três pessoas? São três deuses?
Desde o início os apóstolos de Jesus e os pais da Igreja ensinavam que não se trata de três pessoas ou de três deuses, mas sim de três manifestações do mesmo Deus. E logo foram surgindo textos como o credo apostólico – por exemplo – que nunca foi uma oração, mas uma confissão de fé, uma fórmula para que as pessoas que queriam ser batizadas entendessem o que cada uma das três manifestações de Deus faz. Deus Pai – Criador do céu e da terra; Deus Filho, Jesus Cristo nosso Senhor, e em seguida o Credo Apostólico conta toda a história de Jesus: foi concebido pelo Espírito Santo, nasceu da virgem Maria, padeceu sob o poder de Pôncio Pilatos.... e por fim fala do Deus Espírito Santo e de sua importância para a igreja. O apóstolo Paulo ensinava que nós podemos aprender muitas coisas sobre Deus e sobre Jesus – mas somente com a força do Espírito Santo nós conseguimos praticar a vontade de Deus. É o Espírito Santo que luta contra a nossa própria vontade que é egoísta, prepotente, arrogante. Sem O Espírito Santo, a fé em Deus fica só no conhecimento, na teoria – mas não se pratica. E fé que não se pratica, é uma fé morta.

O apóstolo Paulo insistia que somente o Espírito Santo torna as pessoas capazes de viver conforme a vontade de Deus anunciada por Jesus. Pois a vontade do ser humano está em permanente conflito com a vontade de Deus. Todos nós somos pessoas contraditórias. O O ser humano é um ser contraditório. Nós sabemos o que é correto, o que é certo, o que é bom. Mas geralmente fazemos justamente o contrário. O apóstolo Paulo diz: o ser humano faz o mal que não quer e não faz o bem que quer. Por isso, sem o Espirito Santo a igreja de Cristo se transformaria num clube de associados, onde a vontade e a mensagem de Deus vão ser de menor importância.

Hoje nós também ouvimos como o profeta Isaias foi chamado por Deus. O texto que ouvimos fala que o profeta teve uma visão em que apareceram Deus e seus anjos. De repente surge um dos anjos com um alicate na mão, segurando uma brasa incandescente e coloca essa brasa de fogo na boca do profeta. É como se Deus queimasse as palavras do profeta para que a partir de agora ele somente pudesse falar as palavras de Deus. Deus faz algumas coisas estranhas. Num outro momento, quando Deus chamou o profeta Ezequiel, (cap. 4) Deus mandou ele comer um livro da Bíblia. A simbologia era a mesma: um profeta deve falar a palavra de Deus.

Colocar uma brasa na boca, comer um livro - significa que uma pessoa vocacionada por Deus deve ter um forte compromisso com a vontade de Deus. Isso vale ainda hoje para nós pastores(as), ministros(as). Um pastor(a), ministro(as) não pode só falar do que ele quer ou deixar de falar daquilo que ele não quer. O pastor(a), ministro(a) deve sempre servir a Cristo. Se Deus nos colocou como seus administradores da sua igreja, ele também vai supervisionar o nosso trabalho e certamente vai pedir prestação de contas a todos nós. E como diz Tiago 3.1 “Meus irmãos, somente poucos de vocês devem ser mestres na Igreja, pois vocês sabem que nós, os que ensinamos, seremos julgados com mais rigor do que os outros.”
Às vezes escutamos comentários negativos sobre um pastor(a) que visita acampamentos de sem-terra, sem-teto e se envolve com movimentos sociais. Outras vezes também escutamos críticas contra determinado pastor(a) porque somente dá atenção e visita os ricos.
Qual será a atitude correta? A resposta está no Evangelho: Devemos sempre perguntar qual tem sido a atitude de Jesus?

Lá nos Evangelhos podemos ler que - na maioria das vezes - Jesus andou no meio dos pobres, mas - algumas vezes - ele também esteve na casa dos ricos. Mas Jesus sempre teve um objetivo: libertar os pobres do seu sofrimento e despertar nos ricos a compaixão e a misericórdia.
Para Martim Lutero a marca da verdadeira igreja está em ensinar, pregar e testemunhar a Palavra de Deus, expressa na doutrina dos profetas e dos apóstolos. Para Lutero, a preocupação com a fidelidade ao Evangelho de Jesus Cristo deve estar no miolo do ensino, da pregação e do testemunho da Palavra de Deus. Lutero dizia que cada pastor(a), ministros(a) precisa saber que toda pregação, todo ensino e todo testemunho devem ter por juiz, regente e critério o próprio Jesus Cristo. Deixar de ser fiel aos ensinamentos e ao exemplo de Jesus Cristo é uma traição ao Evangelho. Por isso, a solidariedade de um pastor(a) com pessoas ou grupos que lutam por uma vida melhor é mostra-se obediente ao exemplo de Jesus.

Ouvimos que Deus chamou o profeta Isaías no ano em que o rei Uzias morreu. Uzias tornou-se rei de Judá aos 16 anos e foi rei durante 52 anos, entre 792 e 740 a.C. Ele não era um rei ruim. Ele foi considerado o maior rei depois de Salomão. Seu reinado foi marcado pelo desenvolvimento social e econômico em Judá.É nessa época que o profeta Isaías tem aquela visão em que o anjo coloca a brasa quente na sua boca. Deus então chama o profeta e pergunta: ”Quem é que eu vou enviar? Quem será o nosso mensageiro?. Então o profeta Isaias respondeu: Aqui estou, Senhor, envia-me a mim. (v. 8).

E qual era a mensagem que o profeta Isaias deveria dizer em nome de Deus? A mensagem era a seguinte: Depois da morte do rei Uzias por muitos anos só haverá em Judá reis que desagradam a Deus. Serão reis corruptos que levarão o povo à pobreza. Após a morte do rei Uzias a nação se desestabilizará política e economicamente. As pessoas vão entrar em conflito umas com as outras. E não vai adiantar nenhum conselho. Parece que a mente das pessoas ficou fechada. Os governantes futuros vão se aproveitar da divisão entre as pessoas e vão instalar a corrupção. Vai demorar para melhorar. O país que hoje parece uma árvore grande e forte, logo vai parecer com o toco de um carvalho que foi cortado. E só depois desse toco haverá um novo começo para o povo de Deus.

Alguém pode perguntar: Se Deus já sabe tudo isso, se Deus já sabe que os conflitos entre as pessoas e os futuros governantes vão destruir o país, porque Deus não evita? Por que Deus não faz algo para que isso não aconteça?

A Palavra de Deus nem sempre é de consolo e de esperança. Deus nem sempre concerta as coisas que as pessoas estragam. Ele muitas vezes nos deixa sentir as consequências de nossas escolhas. Deus não faz isso para nos castigar. Deus não é vingativo. Deus deixa acontecer algumas coisas ruins para que nos demos conta das consequências de nossas escolhas. Para que aprendamos a cuidar e preservar as coisas importantes em nossa vida.
Geralmente os maus governantes se apoiam em maus cidadãos. Alguém pode estar pensando agora: A nossa realidade aqui no Brasil, também parece que vamos de mal a pior. Será que os culpados somos nós mesmos? O que vocês acham?

Governantes corruptos se apoiam em pessoas corruptas. E pessoas corruptas também se apoiam em governantes corruptos. E assim surge essa lei: se todo mundo rouba, porque eu não posso roubar?

Vejamos nossa situação atual: Nessa semana todos nós sentimos os efeitos dos protestos dos caminhoneiros. Até mesmo a Assembleia Sinodal do Sínodo Sudeste– que deveria acontecer nesse fim de semana – foi adiada para final do mês de junho. O protesto de caminhoneiros é contra o alto preço do óleo diesel. O presidente da Petrobrás determinou uma fórmula de reajuste do preço do combustível. Cada vez que sobe o petróleo no mercado externo, o combustível deve subir também aqui no Brasil. Como se o Brasil tivesse que comprar do exterior todo o combustível que consome. Mas isso não é verdade. O Brasil produz quase 100% do combustível que consome.  Como não temos ferrovias ou hidrovias, quase tudo se transporta por caminhão. Por isso, combustível é uma questão de segurança nacional. Como nós vimos nessa semana, sem combustível o Brasil para. Essa semana vimos que o preço do combustível também foi marcado por alguns donos de posto, que diante da alta procura, subiram o preço do litro à revelia. Isso também aconteceu com alimentos no CEASA, em feiras e até em alguns supermercados.

Governo corrupto se apoia em pessoas corruptas e pessoas corruptas se apoiam em governo corrupto. A nossa crise no Brasil vem de um mau governo, mas também vem de pessoas más. Quando achamos que já não tem como pior mais a situação, nos damos conta que ainda não estamos no fundo do poço. As coisas pioram ainda mais. E assim como o profeta Isaías no v. 11, também nós perguntamos: “Até quando isso vai durar?”
É difícil falar de melhorar enquanto houver essa crise ética no governo e em muitas pessoas do povo brasileiro. É difícil melhorar enquanto as pessoas pensarem que quem rouba mais, chora menos.

No entanto, Deus não deixa a nossa pergunta - Até quando isso vai durar? – sem resposta. E a resposta está também no Evangelho de Jesus. Jesus nos ensinou que as coisas somente começam a melhorar quando as pessoas começarem a pensar também no bem-estar do outro. Enquanto cada pessoa pensar em si mesma, estaremos reféns dos partidos, dos governantes corruptos e das lutas pelo poder. Jesus nos ensinou que o bem-estar, a felicidade de cada pessoa depende do empenho, da preocupação pelo bem-estar do outro.

Não faça aos outros o que não queres que te façam e faça aos outros o que você gostaria que os outros te fizessem.

As mudanças para melhor somente serão possíveis com o restabelecimento das relações rompidas com Deus e entre nós. Por isso, Martim Lutero dizia que a primeira oração que se deve fazer a Deus no culto é a confissão de pecados. A confissão de pecados é como uma avaliação que fazemos de nossas atitudes. É o momento que comparamos nossas atitudes, nossos pensamentos e nossas decisões com a vontade de Deus. Somente a confissão de pecados pode nos colocar outra vez no caminho de Jesus.

Deus sabe que mudar de atitudes é algo muito difícil para o ser humano. Aliás, Deus sabe que se depender do ser humano isso é até impossível. Para que nossa fé não fique apenas no conhecimento de Deus e de Jesus Cristo, precisamos da força do Espírito Santo. Essa força de Deus que é mais forte do que nós e que nos pode colocar outra vez no caminho de Deus. Aqui está a importância da Santíssima Trindade. Primeiro confissão de pecados e em seguida confissão de fé.

Deus chamou o profeta Isaías, perguntado: ”Quem é que eu vou enviar? Quem será o nosso mensageiro?. Então o profeta Isaias respondeu: Aqui estou, Senhor, envia-me a mim. (v. 8).
Jesus também está chamando a cada um de nós para ouvir e praticar a vontade de Deus. O que nós vamos responder?
Amém.
 


Autor(a): Nilton Giese
Âmbito: IECLB / Sinodo: Sudeste / Paróquia: Belo Horizonte (MG)
Área: Confessionalidade / Nível: Confessionalidade - Prédicas e Meditações
Área: Comunicação / Nível: Comunicação - Programas de Rádio
Testamento: Antigo / Livro: Isaías / Capitulo: 6 / Versículo Inicial: 1 / Versículo Final: 13
Natureza do Texto: Pregação/meditação
Perfil do Texto: Prédica
ID: 47376
MÍDIATECA
REDE DE RECURSOS
+
Jesus Cristo diz: Eu sou a luz do mundo; quem me segue nunca andará na escuridão, mas terá a luz da vida.
João 8.12
© Copyright 2018 - Todos os Direitos Reservados - IECLB - Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil - Portal Luteranos - www.luteranos.com.br